SEMANA DE MODA MASCULINA – INVERNO 2014/2015: LONDRES

As principais marcas apresentaram suas coleções para homens logo no começo do ano. Fiz um levantamento do que achei mais interessante e, como meus comentários ficaram extensos, serão 3 posts sobre o assunto. Neste aqui, inicio por Londres.

·

Burberry

burberry_slt

Christopher Bailey sempre entrega coleções sensacionais para a mais tradicional casa inglesa. Nesta temporada de Inverno, Bailey trouxe inúmeras referências artísticas do Futurismo e adornos estilo Art Nouveau.

Os modelos pareciam artistas e pintores em uma jornada. O icônico trench coat apareceu repaginado e mais leve caindo sobre os ombros dos modelos, um overside que deixa o casaco mais parecido com uma grande camisa de seda.

Para mim, Bailey também usou a feminilidade que um artista pode carregar. Elementos como: camisetas transparentes por baixo de todos os looks desfilados e o uso do lenço no styling traziam esta referência ao homem Burberry, mas sempre sofisticado como é o inglês.

·

·

Alexander McQueen

mcqueen_slt

Sarah Burton está fazendo um grande trabalho para a marca do revolucionário Alexander McQueen. Com uma coleção escura, referências obscuras, modelos com penas dos corvos de Poena cabeça e silhuetas que alguns momentos lembravam Nosferatu.

A alfaiataria inglesa presente nos desfiles de McQueen é sempre impecável. Destaque para os tartans escocês e os kilts trabalhados em monocromáticos.

Uma curiosidade sobre o falecido McQueen: ele largou a escola aos 16 anos e começou a trabalhar nos alfaiates da Savile Row.

·

·

Jonathan Sauders

sauders_slt

As inspirações para a coleção de Outono/Inverno vieram das artes como fotografia e dança.

Nas palavras do próprio estilista: “liberdade, pessoas sem dinheiro sendo criativas.” 

Cores e muitas referências ao sportwear, Sauders traz uma coleção divertida misturando tecidos e texturas diferentes para um homem elegante, mas sem deixar de lado seu humor.

·

·

Sibling

siblings_slt

Nos desfiles da Sibling o inesperado é sempre o certo e este último foi um deles.

Com a definição “uma carta de amor de nós em tricô para todos os homens trabalhadores”, a marca explora o universo do workwear utilizando tricôs e crochês.

Uma coleção divertida em formas e cores. Destaque para os inusitados shorts de crochê misturados com peles.

Também pode-se dizer que a marca foi corajosa e que representa muito bem a London Fashion Week: novos designers sem medo de serem “loucos”!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s